AGENDAMENTO DE CONSULTAS: (54) 3045-9700 | (54) 3045-9800
VIA WHATSAPP: (54) 99253-3525
LISTA DE TELEFONES ÚTEIS   ↵

« Voltar
SENTAR EM W: PODE OU NãO PODE?

Prática comum entre as crianças pode ser evitada com a orientação e correção dos pais.

 

Sentar com as pernas em W está entre as posições mais adotadas pelas crianças, especialmente na hora da brincadeira, pois garante equilíbrio e conforto quando comparada com outras posturas. No entanto, se vier a tornar-se uma prática habitual, esta posição deve ser corrigida por não ser benéfica, como explica, nesta entrevista, Jung Ho Kim, médico especialista em Ortopedia Pediátrica do IOT.

 

O que é a posição “sentando em W”? Por que as crianças gostam de ficar nesta posição?

Dr. Jung Ho Kim: É uma postura adotada pelas crianças em que elas sentam em cima das pernas com os quadris fletidos e em rotação interna (para dentro).  Na verdade quando a criança nasce ela possui uma anteversão femoral (fêmur angulado para frente) aumentada e, portanto, ela sente-se mais confortável nesta posição.


Existem comprovações da relação entre sentar em W e a incidência de patologias? O que dizem os estudos recentes sobre esta questão?

Dr. Jung: Existe ainda controvérsia, não sabemos se a anteversão femoral aumentada fomenta a posição em W ou se a posição em W impede a correção da anteversão femoral aumentada. Não se tem ainda a relação causa-efeito exata.


Mesmo sem evidências científicas desta relação, os ortopedistas recomendam que as crianças não permaneçam nesta posição. Por quê?

Dr. Jung: De qualquer maneira observamos na prática diária que as crianças que adotam a posição em W permanecem com aumento da rotação interna (para dentro) dos quadris por mais tempo e isto ocasiona o caminhar com os pés para dentro. Muitas vezes os pais observam os filhos caminhando com os pés para dentro, acham que a alteração é dos pés quando na verdade é do quadril. Por isso recomendamos evitar a posição em W.

 

Se os pais percebem que a criança fica constantemente na posição em W eles devem procurar um ortopedista? Por quê?

Dr. Jung: Eles podem procurar um ortopedista para descartar causas não fisiológicas do aumento da anteversão femoral, ou para fazer um acompanhamento para ver se esta deformidade está melhorando. A anteversão femoral aumentada pode regredir a valores normais de anteversão até a adolescência, portanto a posição em W não deve ser encarada como uma postura maligna que deva ser abandonada de um dia para outro. O importante é sempre que os pais notarem esta posição orientarem a correção e, principalmente, conversar com seus filhos sobre a importância de não sentar assim. 


O que os pais devem fazer para evitar que os filhos sentem nesta posição? Distribuir pufes e cadeiras pela casa pode ajudar a evitar o problema?

Dr. Jung: Pessoalmente acredito que a criança deva ter mais contato com a natureza, contato com o solo. Ela deve ser encorajada a brincar no chão, sendo assim, pode adotar a posição sentada com as pernas para frente ou pernas cruzadas (a gente diz - como índio).


Quais patologias tem relação com o sentar em W? Quais os sintomas destas doenças?

Dr. Jung: Na verdade não se observou aumento de doenças degenerativas com persistência da anteversão femoral aumentada, porém o indivíduo caminha com os pés para dentro, o que esteticamente é ruim e pode desenvolver a síndrome do mau alinhamento, que é quando o organismo corrige o ângulo da caminhada torcendo a perna para fora, isto pode sobrecarregar a articulação do joelho.


Além da posição em W, existe alguma outra postura que pode trazer problemas para a saúde da criança? Discorra.

Dr. Jung: Problemas posturais são corriqueiros na infância e adolescência, são reflexos da mudança do estilo de vida. Na década de 70 e 80 era muito comum as crianças saírem de casa para brincar pela manhã e voltarem somente na hora do almoço, elas pulavam, corriam, subiam em árvores e andavam de bicicleta. Hoje em dia, até pela falta de segurança, é impensável que uma criança fique fora de casa por tanto tempo sem dar notícias para os pais. Por outro lado a tecnologia proporciona novos passatempos digitais o que melhora o raciocínio e a lógica, mas deixa a criança mais parada, sentada ou deitada. Estas posições contribuem para o encurtamento muscular que pioram a postura e criam um circulo vicioso que pode trazer dor e desconforto. O ideal é sempre a moderação, nossos filhos podem ter atividades digitais, porém, também, devem ter uma vida ao ar livre com atividades físicas e brincadeiras.

 

FOTO: ASCOM IOT



Mais Sobre
MAIS SOBRE

 
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
A primeira artroplastia total de tornozelo no RS
Técnicas menos invasivas e mais eficazes no trata...
Fratura de clavícula é uma das mais comuns
Sentar em W: pode ou não pode?
Você cuida da postura?
ENTRE EM CONTATO
(54) 3045-9700 / 3045-9800 Whatsapp 99253 3525
sac@iotrs.com.br

NEWSLETTER
Para assinar nossa newsletter preencha o campo abaixo.
Ok
© 2019 IOT HOSPITAL DO TRAUMA | www.iotrs.com.br - Todos os Direitos Reservados